.posts recentes

. AdmonicoesDo29ºDomingo do...

. AdmonicoesDo28ºDomingoDoT...

. AdmonicoesDo27ºDomingoDoT...

. AdmonicoesDo26ºDomingoDoT...

. AdmonicoesDo25ºDomingoDoT...

. AdmoniçõesDo24ºDomingoDoT...

. Casa dos Avós

. AdmonicoesDo23ºDomingoDoT...

. AdmonicoesDo22ºDomingoDoT...

. 28 de Agosto – Santo Agos...

.arquivos

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Janeiro 2015

. Agosto 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Setembro 2013

. Março 2013

. Janeiro 2013

. Novembro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Junho 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Dezembro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Agosto 2009

. Abril 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Dezembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

Segunda-feira, 14 de Maio de 2012

Carta aberta à Excelentíssima Senhora Ministra da Agricultura

Nuno Potes Cordovil

Rua do Espírito Santo 2

7000 890 Evora

nunopcordov@gmail.com

266 739690

 96 6286682     91 6731934

www.decordovanaturais.blogs.sapo.pt

 

 

Carta aberta à

Excelentíssima Senhora

Ministra da Agricultura

 

Excelência,

Têm os agricultores portugueses vindo a sofrer um prejuízo bastante considerável por roubos nocturnos de objectos metálicos e outros.

Se a princípio se limitavam a desaparecer peças partidas, arames de fardos e outra sucata depositada pelos proprietários junto dos montes, passou a outra fase com arrombamento de portas e desaparecimento de peças avulsas ainda em estado de reaproveitamento e que serviam para substituição de outras que avariassem. Estavam neste caso discos, formões, rolamentos, chamuças e aivecas para grades e charruas bem como bicos e facas de gadanheiras e outras peças. De notar que se substitui o jogo completo de dentes ou discos e, quando algum se danifica é substituído por outro em meio uso. Começaram a desaparecer também caixas de parafusos, porcas, anilhas, rebites e outras quejandas assim como ferramentas, macacos, máquinas de soldar, furar, lubrificar e outro equipamento da lide agrícola, assim como sacos de ração, de sementes e de adubos.

Numa terceira fase têm levado equipamentos transportáveis como cardans,  e dos equipamentos não transportáveis, os ladrões desmontam e levam peças incorporadas como bombas hidráulicas, discos de compactação, sapatas porta paletes, etc.

Estes roubos têm sido participados às autoridades policiais que, após algumas averiguações e procedimentos burocráticos chegam às secretarias judiciais sem provas concretas pelo que os magistrados do ministério público mandam arquivar os processos na maioria dos casos por não serem identificados os terceiros delinquentes.

O prejuízo é incalculável e não está, de todo, apurado. Ao fazer a participação o agricultor valoriza objectos usados mas, se pretender repor os equipamentos operacionais irá ser obrigado a investir em material novo e bastante mais caro.

As forças policiais vão, ocasionalmente, aos sucateiros verificar se encontram algumas das peças furtadas e reportadas na sua área de influência. É necessário e urgente que se faça mais do que isso. De um procedimento passivo há que passar a um modo activo de atalhar estes roubos.

Propõe-se que, de forma a minorar este prejuízo, as forças policiais, devidamente mandatadas pelas autoridades judiciais competentes, sejam acompanhadas nestas visitas aos sucateiros por peritos (tractoristas ou serralheiros) que distingam material inutilizado de outro aproveitável e que normalmente o agricultor não iria vender. Este material aproveitável seria apreendido a favor do Estado de modo a ser entregue aos agricultores lesados.

Há que atender a que estas redes ilícitas actuam em moldes inter-regionais e muitas vezes transfronteiriços, despistando as buscas específicas das polícias locais. Assim estas buscas deveriam ser realizadas simultaneamente pelas autoridades portuguesas e espanholas, criando uma listagem dos bens apreendidos.

Igualmente se deveriam apreender as viaturas que a polícia tem referenciadas nesta prática ( embora não apanhadas em flagrante) ou serem equipadas com um chip electrónico que registasse os seus percursos.

Estamos certos que estas medidas diminuiriam a criminalidade nesta área.

Certos estamos também que a segurança do património tem que ser salvaguardada ainda que acarrete diminuição de privacidade de alguns cidadãos(?).

 

Grato pela atenção

 

 

 

 

Nuno Potes Cordovil

publicado por decordovanaturais às 17:58
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds