Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

decordovanaturais

decordovanaturais

Vivemos num mundo quântico em que tudo tem uma medida.

As medidas servem para comparar, para avaliar, para sentirmos as diferenças e as semelhanças.

Existem então medidas exactas, objectivas, quantitativas e outras há mais subjectivas, qualitativas.

Entre o zero e o infinito ou mesmo de menos infinito a mais infinito, de zero a 360 graus, sempre é possível posicionarmos qualquer coisa.

Também o tempo se pode medir em segundos, em horas ou dias, em anos, gerações, séculos ou eras.

Tudo tem uma medição.

Mas para além destes termos sabemos que os seres vivos têm memória e aprendem a ajustar-se ao tempo, sabem quando começa a primavera, e o ciclo da vida tem uma precisão impressionante.

Os factos marcantes são recordados passados anos e levam a reacções próprias de cada acontecimento. Ouvi dizer de um elefante que se vingou de uma pessoa quando a encontrou passados mais de vinte anos depois desta o ter agredido.

Também o Homem, animal superior por ter inteligência para além da memória, utiliza o tempo para ir registando várias marcas que o ajudarão a resolver problemas novos.

Não podemos nunca dizer que o tempo passado está passado, ponto final.

O tempo passado é importante no tempo presente por nos ajudar a compreender a nossa vida e será importante no futuro pois a nossa experiência poderá, se devidamente documentada, servir de suporte para a acção de outros que nos sucederão e que não precisarão, por ventura, de repetir os mesmos erros e experiências que nós já experimentámos.

Falo, claro, em termos ideais, porque continuamos sempre a cair nas mesmas asneiras e a acreditar num outro 'conto do vigário' pois nisso  só caiem os outros...

Não deitemos para o lixo o nosso passado. Aproveitemos as experiências, boas e más, para nos ajudarem a crescer e caminhar para o futuro.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.