Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

decordovanaturais

decordovanaturais

15 Jan, 2009

O Eco

 

Eco
Dai-me o mote:
Eco, é o Eco!
 
   Eco ressoa,
   Eco não mede,
   O Eco voa,
   O Eco sucede.
 
       O Eco é oco,
       É um vazio
       Que até dá troco…
        … Doentio.
 
           Chama-se a Lena
           Com voz bem forte,
            Repete: Mena... Sena... pena...ena...
            Com alguma sorte.
 
                 Baralham-se ideias
                 Ao escutar o Eco,
                 Entornam-se candeias
                 Num teço-teco.
 
                     O diz que diz
                     Que outro repete,
                     Já não condiz
                      Do que remete.
 
                         Mas voa assim
                         Em certeza profunda,
                         Enterra o jasmim
                         Em cova bem funda.
 
                            O paste e cola
                            É Eco maldito
                            Que a mente enrola
                            No dito por dito.
 
                                Já não se pensa:
                                 Basta copiar.
                                 O engano que vença…
                                 É só assinar.
 
                                   Bibliografia, o que é?
                                   Preciso referenciar?
                                   Mas se ninguém vê
                                   Que estou a glossar…
                                      …
                                      Enterre-se o Eco,
                                      Vamos  criar! 
                                       Prefiro pão seco  
                                       A muito manjar.
       O ‘Caldeira’, de Castelo Branco
                            Janeiras de 2009

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.