.posts recentes

. Super Nani

. Jonas e S. Vicente

. Carta aberta

. AdmonicoesDo2ºDomingoDoAd...

. AdmonicoesDo1ºDomingoDoAd...

. AdmonicoesDaSolenidadeDeN...

. AdmonicoesDo33ºDomingoDoT...

. AdmonicoesDo32ºDomingoDoT...

. AdmonicoesDo31ºDomingoDoT...

. AdmonicoesDo30ºDomingoDoT...

.arquivos

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Janeiro 2015

. Agosto 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Setembro 2013

. Março 2013

. Janeiro 2013

. Novembro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Junho 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Dezembro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Agosto 2009

. Abril 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Dezembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

Quinta-feira, 11 de Janeiro de 2018

Carta aberta

Nuno Potes Cordovil

Rua do Espírito Santo 2

7000 890 Evora

nunopcordov@gmail.com

266 741485  -   96 6286682 www.decordovanaturais.blogs.sapo.pt

 

Exmo Senhor

Director Geral / Presidente / Assessor Jurídico (ou qualquer outro cargo/ título do senhor que despachou a exclusão de a Defesa da Imprensa Regional Generalista)

 

Lisboa (normalmente onde funcionam estes senhores)

 

Assunto: Carta aberta

Évora, no final de Dezembro de 2017

Exmo Senhor

É, certamente, Vexa um dos muitos funcionários que ganha o vencimento à custa do erário público e, portanto, à custa dos meus impostos. Respeito-o na mesma como se fosse um simples empregado de qualquer empresa onde é necessário trabalhar no duro para conseguir um ordenado legítimo no final do mês.

Quero expressar o meu protesto pela vossa deliberação que vem prejudicar o resultado económico- financeiro da empresa proprietária do referido jornal, de que eu sou accionista e membro do Conselho Fiscal (sem qualquer retribuição). Vejo com apreensão os resultados transitados a esvaírem-se ano após ano mercê dos défices preocupantes dos vários departamentos, designadamente o jornal e a tipografia e questiono até que ponto se poderão continuar a pagar os salários dos trabalhadores que aí labutam. A pequena ajuda para os portes dos CTT do jornal até ao assinante não era suficiente para cobrir o tal défice anual mas era um incentivo para continuar a disponibilizar este SERVIÇO PÚBLICO de transmitir informação regional aos seus assinantes. Cumprimento o presidente do conselho de administração (e director do jornal a Defesa), senhor Dr. António Salvador dos Santos pelo esforço abenegado com que semana após semana se equilibram os pagamentos com os rendimentos auferidos em publicidade e assinaturas.

Gosto de ler textos interessantes pelo que sou leitor de a Defesa. Não me interesso pelos amantes de ninguém nem pelas novelas porcas de subornos e outros enredos que vejo em folhetins de outros meios de comunicação com o intuito de captar clientela. As notícias positivas do que se fez em prol de pobres e necessitados anima-me a também pensar nos fracos e desprotegidos, ajudando-me a compreender o mundo que gira à minha volta. Os artigos do Dr. Fernando Marques, historiador, levam-me a descobrir segredos que de outra forma não tinha tempo para deslindar. Não quero referir a totalidade dos colaboradores nem a sua formação académica mas considero que o jornal é abrangente em vários temas. As notícias das acções da AIS, do CNE, do Pão e Paz, do Banco Alimentar ou do que se vai passando pela região levam-me a compreender das necessidades à minha volta. Até o sudoku é aproveitado por mim para minimizar os estragos neurológicos desta vida stressante na sociedade.

Peço assim que, no interesse de milhares de leitores, deste e de outros jornais semelhantes, seja reconsiderada a resolução ora tomada por Vexa.

Desejo a Vexa um ano de 2018 cheio de Paz que só será alcançado se todos os homens forem responsáveis e tolerantes.

Grato pela atenção

 

Nuno Potes Cordovil

 

publicado por decordovanaturais às 18:57
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds