Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

decordovanaturais

decordovanaturais

Manjar branco com pelinhas,

Comi eu semana e meia.

Deu-m’ a vizinha Raquel

Numa tigela bem cheia.

 

Tinha saudades, bem sei,

Dum manjar doce e macio

De peneiradas farinhas.

Já muitas receitas provei

E alguns tachos queimei

Para saborear lasquinhas,

Relevantes, saborosas,

Que à socapa eu roubei

De travessas bem fininhas:

Manjar branco com pelinhas…

 

Pois deram-me tal porção

Desse doce saboroso

Que fiquei de forra cheia,

Bem inchado e pesadão,

Com plena satisfação.

A quem teve tal ideia,

Não se diga ser forreta

Por sua boa intenção:

Deu pró jantar e prá ceia,

Comi eu semana e meia…

 

É dos doces mais gostosos

Que se pode imaginar.

O melhor mesmo é a pele…

Cor e cheiro saborosos,

Bem ao gosto dos idosos,

‘Inda mais fino que o mel,

Delícia para crianças,

Mas não fiquem invejosos

Deste óptimo pastel:

Deu-m’ a vizinha Raquel…

 

Fico muito agradecido

Aos meus amigos Zapico,

Companheiros nesta Aldeia,

Com gosto bem aferido,

Que me deixa estremecido,

N’amizade que granjeia.

E agora ao mandar

Meu verso desenxabido,

Vai um frasco à boleia

Numa tigela mal cheia.

           

                       (agradecimento atrasado, do Natal para a Quaresma, Abril de 2014)

 

                               O ‘Caldeira’, de Castelo Branco

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.